Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Governo e Políticas. Debates, COMENTÁRIO e OPINIÃO - Sociedade, Comunicação e Política

Comunicações e opiniões pessoais sobre o dia a dia da política e da sociedade. O que outros pensam e comentam sobre a sociedade, política, economia e educação.

Um raio que os parta

Raio que parta.png

UM RAIO QUE OS PARTA!

Não, não é para vocês caros leitores!

Após regresso de Londres só hoje publico este texto que estava preparado antes de férias.

Digo um raio que os parta para o empenho das televisões em produzir alarmismos, vários, entre a população. Um raio que os parta vai para os que dizem e falam sobre as filas de espera, o caos nas lojas do cidadão e no SEF para revalidar o Cartão de Cidadão e outros documentos.

Enquanto no Parlamento estava a decorrer o Estado da Nação resolvi fazer o meu passeio pedestre em Lisboa, como sempre faço diariamente, e desta vez percorri vários locais, não vou dizer quais, onde se tiram documentos, para ver com os meus olhos, não, felizmente ainda não necessito de óculos. Os óculos das câmaras das TV´s é que captam apenas ângulos que lhes interessam e cujo verificação no local sabem não pode ser feita pelo telespectador.

Como estava dizendo, hoje percorri três locais, já passava das onze horas da manhã, onde não vi quaisquer caos ou filas de espera exageradas. Resolvi optar por uma das lojas que, para mim, seria a mais conveniente para tirar o meu Cartão de Cidadão que tinha extraviado.

O movimento àquela hora era o que se podia chamar normal com as filas de espera junto dos diversos balcões, nos passaportes, cartão de cidadão no SEF, na NOZ, na EDP, na Segurança Social, e outros balcões. Isto é, havia gente à espera para tratar de assuntos diverso. Aliás como há esperas como em alguns consultórios médicos no privado mesmo após termos marcado uma consulta dias de antecedência, por vezes não tão poucos, paga a preço de ouro.

Cheguei ao local por volta das 14 horas e, à entrada, deparo com uma fila de cidadãos, talvez uns vinte ou vinte cinco ou um pouco mais. A fila estava parada dando a perceção de que estariam à espera de tirar senha.

Quem for a alguns locais depara com filas enormes para tratar de adquirir nacionalidade portuguesa, são casos especiais, pois cada vez há mais imigrantes orientais e africanos que nos batem às portas ou que vivem aqui há alguns anos e pretendem regularizar a sua situação. A altura de férias é, para eles, a mais oportuna por vários motivos. Como vivem “informados(?)” por alarmismos induzidos claro que há uma corrida como se tivesse um aviso de escassez de géneros alimentares.  

Dirigi-me para a fila que estava imóvel sem que aparentemente nada se passasse de anormal. Saí da fila e entrei. Dirigi-me a um segurança e disse o que pretendia. Amavelmente o dito segurança informou-me que tirasse a senha C para ir ao SEF. Como o ticket não saía o segurança disponibilizou-se a resolver o problema, abriu a porta da máquina, fechou-a de seguida e a senha saiu, era a C84. Olhei para os monitores de chamada estava no C76. Esperei, se tanto, 20 a 30 minutos. Fui chamado. Mais 15 minutos a resolver a situação. Problema resolvido.

Veio-me de novo à ideia: um raio que os parta, a eles, às TV´s, animadoras de induções de agitação orientadas não sei por quem, nem o que as move. Procuram o quer que seja para terem audiências, mesmo que faltem ao dever de informar com isenção. Um raio que as parta.