Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ZOOM SOCIAL - Cultura, sociedade e política

Apontamentos, comentários e OPINIÕES sobre política, economia, educação, sociedade e cultura. Confronto de afirmações, reflexões e contradições sobre o modelo social que temos.

ZOOM SOCIAL - Cultura, sociedade e política

Apontamentos, comentários e OPINIÕES sobre política, economia, educação, sociedade e cultura. Confronto de afirmações, reflexões e contradições sobre o modelo social que temos.

Sobre o dia internacional da mulher

Dia da mulher (1).png

Hoje é o dia internacional da mulher e, à parte as manifestações dos vestidos de preto que apesar de muito sugestivas são pouco convincentes tanto que, na última entrega de óscares já se viram vestidos desde o branco ao vermelho, passando pelo amarelo. Tão importante é o que se passa com a prática da violência contra as mulheres em todo o mundo. Na Europa, Portugal está em evidência pela negativa.

Numa sondagem que apresento nas tabelas seguintes que nos envergonham relativamente à Europa e cuja fonte foi a empresa Gallupe, credenciada empresa de sondagens e de pesquisa de opinião que pode consultar aqui.

Pergunta: Por favor, diga se acha que a violência doméstica é um problema sério ou não é um problema sério em [país].

 

Países da Europa

Sim, é um problema sério

%

Portugal

98

France

90

Malta

90

Iceland

85

Sweden

82

Belgium

80

Netherlands

79

Denmark

78

Finland

75

Cyprus

73

Luxembourg

72

Switzerland

68

Ireland

66

Fonte: GALLUP WORLD POLL

 

Pelo menos dois terços em todos os 13 países dizem que violência doméstica é um problema grave.

Embora estes resultados variem significativamente por país, em todos os 13 países maiorias evidentes consideram o abuso doméstico como um problema sério, dos dois terços na Irlanda (66%) para quase todos os adultos em Portugal (98%). Mesmo nos países europeus, muitas vezes vistos como pioneiros na igualdade de género e na formulação de políticas favoráveis ​​à família, como Holanda, Islândia e Suécia, três dos cinco países mais bem classificados do Índice de Desigualdade de género das Nações Unidas - cerca de oito em cada 10 residentes dizem que o abuso doméstico é um problema sério.

 

Pergunta: Você acredita que as mulheres no [país] são tratadas com respeito e dignidade, ou não?

 

Países da Europa

 

Sim, são tratadas com dignidade e respeito

%

Switzerland

94

Denmark

93

Finland

92

Ireland

92

Luxembourg

91

Belgium

89

Iceland

89

Netherlands

87

Malta

85

Sweden

81

France

75

Cyprus

68

Portugal

58

Fonte:GALLUP WORLD POLL

 

A perceção dos residentes portugueses sobre a violência doméstica como um problema grave parece refletir preocupações mais gerais sobre o tratamento das mulheres no país. Cinquenta e oito por cento dos adultos portugueses acreditam que as mulheres no país são tratadas com respeito e dignidade, facilmente a menor figura entre os 13 países incluídos na análise. As taxas elevadas de abuso doméstico - particularmente os casos em que as mulheres foram assassinadas pelos seus cônjuges - fizeram manchetes em Portugal nos últimos anos, assim como os esforços do governo português para aprovar legislação que proteja melhor as mulheres maltratadas.

 Menos probabilidades de dizer que as mulheres são tratadas com respeito e dignidade.

  

Pergunta: Por favor, diga se acha que o abuso sexual é um problema sério ou não é um problema grave em [país].

 

 

Países da Europa

 

% Problema sério

Mulheres

Homens

%

%

Portugal

96

93

Islândia

92

77

França

91

86

Dinamarca

88

84

Suécia

86

80

Bélgica

81

80

Países Baixos

80

68

Suíça

72

52

Chipre

67

62

Finlândia

62

50

Irlanda

60

58

Norte do Chipre

51

49

Fonte: GALLUP WORLD POLL

 

As mulheres também são um pouco menos propensas do que os homens a dizer que as mulheres no seu país são tratadas com dignidade e respeito (79% contra 86%, respetivamente, nos 13 países europeus estudados). Além disso, as mulheres em grupos mais vulneráveis ​​- incluindo aqueles com baixos níveis de educação e aqueles que estão desempregados ou subempregados - são especialmente suscetíveis de discordar de que as mulheres em seu país são respeitadas.