Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Campanha eleitoral e Debates. COMENTÁRIO e OPINIÃO - Sociedade, Comunicação e Política

O que outros pensam e comentam sobre a sociedade, política, economia, educação. Comunicações e opiniões pessoais sobre o dia a dia da política e da sociedade.

A vingança serve-se fria?

Bastonárias enfermeiros.png

Imagem de: Noticias ao minuto. https://www.noticiasaominuto.com/

Começo a ficar preocupado comigo porque acho que estou a verificar em mim uma tendência para a interpretação errónea da realidade em consequência da suscetibilidade aguda e da desconfiança extrema que estou a ter para com os enfermeiros. Até já vejo em todas as mulheres que passam na rua enfermeiras grevistas. Mas a culpa é delas. Porquê só as mulheres? É simples: mais do que 85% dos enfermeiros são mulheres.

Estou com receio de ter de ir a um hospital público e ser maltratado se reajo contra a greve desnaturada que eles estão a provocar sobre pessoas indefesas. Sim, ando com medo e os médicos também estarão por causas diferentes.

Esta gente, nomeadamente Ana Rita Cavaco, bastonária da ordem dos enfermeiros, uma das incitadoras e manipuladoras da greve sabe o que anda a fazer e, para mim, é uma espécie de vingança dos enfermeiros, direi antes enfermeiras porque mais de 85% são mulheres, incitada e poe ela manipulados(as) sobre o que o PS e António Costa fizeram a Passos Coelho e ao PSD em 2015. Para saber quem Ana Rita Cavaco basta clicar aqui e ver um artigo da revista Visão em 2017.

Ana Rita Cavaco foi adjunta de Carlos Martins, secretário de Estado da Saúde entre 2002 e 2004, no Governo de Durão Barroso.

No Verão de 2013 foi-lhe instaurado um processo disciplinar com base numa participação de uma colega, que justificou a sua denúncia com “princípios éticos e deontológicos”. De acordo com a participação, Ana Rita, então colocada no Centro de Saúde da Graça, esteve ausente do serviço durante três semanas, em junho desse ano, “tendo assinado a respetiva folha de ponto” quando regressou, tal como se tivesse estado a trabalhar. Podem confirmar aqui.

Esta greve é essencilamente política, idependentemente da razão que lhes possa assistir ou não.

Para alguns liberais de direita (digo alguns porque é sempre mau generalizar) que escrevem artigos de opinião no que se refere à greve dos enfermeiros, talvez porque está no governo um partido de centro esquerda, lá vai disto, e colocam-se do lado dos enfermeiros porque à direita (alguma) convém tudo quanto possa por em causa o Governo e António Costa. É o caso do artigo de Vasco Pulido Valente e da grosseira opinião no que respeita à greve selvática dos enfermeiros e à sua duvidosa perceção dos que frequentam os hospitais. Talvez as minhas opiniões não o sejam menos, mas eu sou um elemento do povo, da ralé, do povaréu e ele é um senhor supra-classe, por isso tenho desculpa.

O artigo de opinião do dr. Vasco Pulido valente mereceu os meus comentários seguintes: O dr. saberá do que está a falar? Apesar de dizer que esteve num hospital público só se for de passagem, em transição para um privado. Devo concluir que esteve num hospital público no entretanto dos tempos das greves. Talvez com gripe? Dr. Vasco Valente, as pessoas que estão nos hospitais neste momento estão com medo dos enfermeiros, de maneira que lhes dizem a tudo que sim e lhes fazem muitos sorrisos e estimulam vãos apoios. O curso de filosofia que tirou na faculdade de letras, antes do tempo em que eu por lá andei, não o ajudou a compreender as pessoas... Que tenha "raiva" ao Dr. António Costa e às esquerdas ainda compreendo. Mas, por favor, tenha pena de nós os coitadinhos cá de baixo, os do povaréu! E acrescentei: Por essa dos enfermeiros ficamos a saber qual a origem da organização grevista e selvática, porque a esses lhes interessa e, por outro lado, esses mesmos vão aos hospitais privados quando precisam. A questão que coloco agora é: como seria a opinião dele se estivesse no governo um partido ou uma coligação de partidos de direita, espetro com o qual provavelmente se identificará?